sábado, 21 de julho de 2018

CARTOON NETWORK   63   
ACYION PACK   

ESTADOS UNIDOS   

EDITORA DC   

2011     




Em formato 26 x 17  colorido e 34 páginas.   Lançada em Outubro de 2011,nos Estados Unidos.


Revista que apresenta em quadrinhos os personagens que aparecem na Cartoon Network que é um canal norte-americano de televisão por assinatura de rede de propriedade da Turner Broadcasting System, que vai ao ar principalmente com programação animada.



CAP UND CAPPER   
ZWEI FREUNDE AUF ACHT PFOTEN   
WALT DISNEY   

ALEMANHA     

EDITORA DELPHIN VERLANG     

1981     




Em formato 25 x 30,5 , colorido e 80 páginas,com a história ''O Cão e a Raposa'',numa adaptação filmada de Walt Disney,lançada em 1981,na Alemanha.   O título seria algo como ''Dois Amigos em Oito Patas'',em português.


O enredo gira em torno de uma amizade inocente entre dois inimigos naturais leva a situações cômicas e conflitos na idade adulta. Dodó é uma raposinha órfã que foi adotada por uma senhora depois de ter a mãe morta por um caçador. Ela cresce ao lado de Toby, um filhote de cão de caça, e os dois se tornam grandes amigos. O problema é a natureza diferente dos dois: um é caçador e a outra deveria ser a presa.



sábado, 14 de julho de 2018

MAD SPECIAL NUMBER SEVEN  7     

ESTADOS UNIDOS       

EDITORA E.C,     

1972   
 


                                              Em formato 21 x 27 , em preto e branco e 82 páginas.



Mad é uma revista norte-americana de humor satírico fundada pelo empresário William Gaines e pelo editor Harvey Kurtzman em 1952. A revista satiriza todos os aspectos da cultura popular americana. A publicação mensal é o último título sobrevivente da aclamada linha de revistas da EC Comics.

Falar da Mad é falar de William Gaines e de Harvey Kurtzman. Kurtzman trabalhava na editora de Bill Gaines, a EC Comics – no início Educational Comics, especializada em histórias ilustradas da Bíblia; mais tarde, quando o pai de Gaines passou-lhe o controle, Entertainment Comics, focada em livros de sci-fi e horror (que tinha como carro-chefe o best-seller de terror Tales from the Crypt). Era editor comissionado pelas vendas de seus títulos, dois ao todo, contra sete do outro editor, Al Feldstein, que era bem melhor sucedido.
Sem dinheiro, Kurtzman procurou Gaines para um empréstimo. Conseguiu-o, mas com uma condição: que fosse usado para criar um novo título. Gaines lembrou dos esquetes humorísticos no portfolio de Kurtzman, e naquela reunião decidiu-se criar uma revista que fizesse graça das outras revistas.
Enquanto Kurtzman afirma ter surgido com o nome sozinho, Gaines dizia que Mad pipocou durante um brainstormcom Feldstein. De uma maneira ou outra, em outubro de 1952 era lançada Tales Calculated to Drive You Mad (em português, "Histórias com a intenção de levá-lo a loucura"), com arte de colaboradores regulares da EC como Jack DavisWally Wood e especialmente Bill Elder, cujo traço tornou-se marca registrada dos primeiros anos da publicação, quando era um livro bimestral. Seu preço: 10 centavos de dólar. John Severin também foi um dos ilustradores que trabalharam quando a revista foi criada.
Desde o início, Mad era como nenhuma outra revista. Trazia um humor tosco, irreverente, agressivo (classificado pelos próprios editores como "humor via veia jugular"); mas quase sempre inteligente, carregado de sátira e crítica social, e impecavelmente bem desenhado. A arte sempre foi uma preocupação maior na revista. Espaços em branco não eram bem-vindos; entupia-se os fundos de piadas visuais, gags, e referências ocultas. Kurtzman teve papel central nessa primeira etapa. Além de escrever grande parte do material, criou o logo da revista, deu vida a Alfred E. Neuman e desenhou capas.
Apesar da proposta inovadora, Mad não foi um sucesso instantâneo. Mas Gaines adorou, e lhe deu fôlego (ou seja, dinheiro) para construir uma base de leitores – o que aconteceu em alguns meses. Já o número 4 esgotou rapidamente, trazendo uma paródia do sucesso maior da época: Superman, impiedosamente parodiado por Wood como Superduperman (no Brasil, Superducahomem na tradução dos anos 70Superômi na dos 80)



                                                              Contra capa da revista.



quinta-feira, 12 de julho de 2018


PANTERA COR DE ROSA  16       

PORTUGAL      

EDITORA LÍBER       

1983     




Em formato 12 x 19 , colorido e 68 páginas.   Lançada em Portugal,em 25 de Abril de 1983.

Pantera Cor-de-Rosa é uma pantera fictícia que apareceu originalmente em 1963, na abertura do filme The Pink Panther. O sucesso foi enorme e fez com que fosse produzida uma série de desenho animado. Os mais de 120 episódios tiveram em média seis minutos de duração. As aventuras da personagem eram acompanhadas pela famosa canção-tema de Henry Mancini‘’The Pink Panther Theme’’. A primeira série foi produzida pelo estúdio de animação americano DePatie-Freleng Enterprises, de 1964 até 1980.
É um personagem muito educado, um cavalheiro britânico perfeito de personalidade relaxada, embora às vezes possa ser muito brincalhão e curioso, além de perseverante ao decidir fazer algo. Raramente fala, normalmente se comunica através de gestos, expressões faciais e sons. Ele é muito inteligente e hábil, às vezes, mas ainda tende a ser um pouco desajeitado.
A Pantera nunca usou a esperteza para enganar, mas para ser feliz. Usou-a apenas para fugir ou esconder-se dos seus adversários ou para não ser incomodado.
A Pantera é fanática pela cor rosa, pois considera o rosa como sua cor favorita, como é mostrado no primeiro episódio onde a Pantera troca a tinta azul pela tinta rosa, dando uma dor de cabeça para o Little Man.
Os episódios ‘’Sink Pink’’ e ‘’Pink Ice’’, respectivamente adaptados no Brasil como a ‘’A Arca da Pantera’’ e ‘’Diamantes da Pantera’’ são os únicos episódios da série original em que a Pantera é retratada falando, tendo uma voz masculina já que o personagem sempre foi pensado como sendo do gênero masculino, mas muitas vezes é referido como feminino através do nome e de sua espécie.
Por falar em sua espécie, popularmente são chamadas de panteras três tipos de felinos: a pantera africana ou leopardo, a pantera americana ou onça-pintada e a pantera negra que na verdade é apenas um leopardo que nasceu com melanismo.
É comum compará-lo com o personagem Carlitos, de Charles Chaplin, por seu comportamento, sua educação refinada e escassez de palavras.
A Pantera Cor de Rosa aparece e quadrinhos,livros,brinquedos e dezenas de itens.



                                                                          Páginas 2 e 3.



                                                                    Páginas 66 e 67.
ANDRÉS  ÖND     13       

ISLÂNDIA               



EDITORA  EGMONT              


1994       





  Em formato americano , 17 x 24,5 . colorido e 32 páginas.   Lançado em 28 de Março de 1994,com Pato Donald,Huguinho,Zezinho e Luisinho,Irmãos Metralha,Gastão,Mickey,Pateta e outros personagens Disney.









PANTERA COR DE ROSA  10      

PORTUGAL       

EDITORA LÍBER       

1983     




Em formato 12 x 19 , colorido e 68 páginas.   Lançada em Portugal,em 31 de Janeiro de 1983.

Pantera Cor-de-Rosa é uma pantera fictícia que apareceu originalmente em 1963, na abertura do filme The Pink Panther. O sucesso foi enorme e fez com que fosse produzida uma série de desenho animado. Os mais de 120 episódios tiveram em média seis minutos de duração. As aventuras da personagem eram acompanhadas pela famosa canção-tema de Henry Mancini‘’The Pink Panther Theme’’. A primeira série foi produzida pelo estúdio de animação americano DePatie-Freleng Enterprises, de 1964 até 1980.
É um personagem muito educado, um cavalheiro britânico perfeito de personalidade relaxada, embora às vezes possa ser muito brincalhão e curioso, além de perseverante ao decidir fazer algo. Raramente fala, normalmente se comunica através de gestos, expressões faciais e sons. Ele é muito inteligente e hábil, às vezes, mas ainda tende a ser um pouco desajeitado.
A Pantera nunca usou a esperteza para enganar, mas para ser feliz. Usou-a apenas para fugir ou esconder-se dos seus adversários ou para não ser incomodado.
A Pantera é fanática pela cor rosa, pois considera o rosa como sua cor favorita, como é mostrado no primeiro episódio onde a Pantera troca a tinta azul pela tinta rosa, dando uma dor de cabeça para o Little Man.
Os episódios ‘’Sink Pink’’ e ‘’Pink Ice’’, respectivamente adaptados no Brasil como a ‘’A Arca da Pantera’’ e ‘’Diamantes da Pantera’’ são os únicos episódios da série original em que a Pantera é retratada falando, tendo uma voz masculina já que o personagem sempre foi pensado como sendo do gênero masculino, mas muitas vezes é referido como feminino através do nome e de sua espécie.
Por falar em sua espécie, popularmente são chamadas de panteras três tipos de felinos: a pantera africana ou leopardo, a pantera americana ou onça-pintada e a pantera negra que na verdade é apenas um leopardo que nasceu com melanismo.
É comum compará-lo com o personagem Carlitos, de Charles Chaplin, por seu comportamento, sua educação refinada e escassez de palavras.
A Pantera Cor de Rosa aparece e quadrinhos,livros,brinquedos e dezenas de itens.





     Capa e contra capa.


Páginas 2 e 3.


    Páginas 66 e 67.


ANDRÉS  ÖND   6                     

ISLÂNDIA                 



EDITORA  EGMONT              


1994         




  
 Em formato americano , 17 x 24,5 . colorido e 32 páginas.   Lançado em 7 de Fevereiro de 1992,com Tio Patinhas,Pato Donald,Margarida,Mickey,Pateta,Lobão,Lobinho,Huguinho,Zezinho e Luisinho e outros personagens Disney.